Friday

July 7, 2023

Section 1 of 4

Joshua 9

About 3 Minutes

E souberam disso todos os reis que viviam a oeste do Jordão, nas montanhas, na Sefelá e em todo o litoral do mar Grande, até o Líbano. Eram os reis dos hititas, dos amorreus, dos cananeus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus. Eles se ajuntaram para guerrear contra Josué e contra Israel.

Contudo, quando os habitantes de Gibeom souberam o que Josué tinha feito com Jericó e Ai, recorreram a um ardil. Enviaram uma delegação, trazendo jumentos carregados de sacos gastos e vasilhas de couro velhas, rachadas e remendadas. Os homens calçavam sandálias gastas e remendadas e vestiam roupas velhas. Todos os pães do suprimento deles estavam secos e esmigalhados. Foram a Josué, no acampamento de Gilgal, e disseram a ele e aos homens de Israel: “Viemos de uma terra distante. Queremos que façam um acordo conosco”.

Os israelitas disseram aos heveus: “Talvez vocês vivam perto de nós. Como poderemos fazer um acordo com vocês?”

“Somos seus servos”, disseram a Josué.

Josué, porém, perguntou: “Quem são vocês? De onde vocês vêm?”

Eles responderam: “Seus servos vieram de uma terra muito distante por causa da fama do Senhor, o seu Deus. Pois ouvimos falar dele, de tudo o que fez no Egito, 10 e de tudo o que fez aos dois reis dos amorreus a leste do Jordão: Seom, rei de Hesbom, e Ogue, rei de Basã, que reinava em Asterote. 11 E os nossos líderes e todos os habitantes da nossa terra nos disseram: ‘Juntem provisões para a viagem, vão encontrar-se com eles e digam-lhes: Somos seus servos, façam um acordo conosco’. 12 Este nosso pão estava quente quando o embrulhamos em casa no dia em que saímos de viagem para cá. Mas vejam como agora está seco e esmigalhado. 13 Estas vasilhas de couro que enchemos de vinho eram novas, mas agora estão rachadas. E as nossas roupas e sandálias estão gastas por causa da longa viagem”.

14 Os israelitas examinaram as provisões dos heveus, mas não consultaram o Senhor. 15 Então Josué fez um acordo de paz com eles, garantindo poupar-lhes a vida, e os líderes da comunidade o confirmaram com juramento.

16 Três dias depois de fazerem o acordo com os gibeonitas, os israelitas souberam que eram vizinhos e que viviam perto deles. 17 Por isso partiram de viagem, e três dias depois chegaram às cidades dos heveus, que eram Gibeom, Quefira, Beerote e Quiriate-Jearim. 18 Mas não os atacaram, porque os líderes da comunidade lhes haviam feito um juramento em nome do Senhor, o Deus de Israel.

Toda a comunidade, porém, queixou-se contra os líderes, 19 que lhes responderam: “Fizemos a eles o nosso juramento em nome do Senhor, o Deus de Israel; por isso não podemos tocar neles. 20 Todavia, nós os trataremos assim: vamos deixá-los viver, para que não caia sobre nós a ira divina por quebrarmos o juramento que lhes fizemos”. 21 E acrescentaram: “Eles ficarão vivos, mas serão lenhadores e carregadores de água para toda a comunidade”. E assim se manteve a promessa dos líderes.

22 Então Josué convocou os gibeonitas e disse: “Por que vocês nos enganaram dizendo que viviam muito longe de nós, quando na verdade vivem perto? 23 Agora vocês estão debaixo de maldição: nunca deixarão de ser escravos, rachando lenha e carregando água para a casa do meu Deus”.

24 Eles responderam a Josué: “Os seus servos ficaram sabendo como o Senhor, o seu Deus, ordenou que o seu servo Moisés lhes desse toda esta terra e que eliminasse todos os seus habitantes da presença de vocês. Tivemos medo do que poderia acontecer conosco por causa de vocês. Por isso agimos assim. 25 Estamos agora nas suas mãos. Faça conosco o que lhe parecer bom e justo”.

26 Josué então os protegeu e não permitiu que os matassem. 27 Mas naquele dia fez dos gibeonitas lenhadores e carregadores de água para a comunidade e para o altar do Senhor, no local que o Senhor escolhesse. É o que eles são até hoje.

Section 2 of 4

Psalms 140-141

About 3.8 Minutes

Livra-me, Senhor, dos maus;
protege-me dos violentos,
que no coração tramam planos perversos
e estão sempre provocando guerra.
Afiam a língua como a da serpente;
veneno de víbora está em seus lábios.Pausa

Protege-me, Senhor, das mãos dos ímpios;
protege-me dos violentos,
    que pretendem fazer-me tropeçar.
Homens arrogantes prepararam
    armadilhas contra mim,
perversos estenderam as suas redes;
no meu caminho armaram ciladas contra mim.Pausa

Eu declaro ao Senhor: Tu és o meu Deus.
Ouve, Senhor, a minha súplica!
Ó Soberano Senhor, meu salvador poderoso,
tu me proteges a cabeça no dia da batalha;
não atendas os desejos dos ímpios, Senhor!
Não permitas que os planos deles
    tenham sucesso,
para que não se orgulhem.Pausa

Recaia sobre a cabeça dos que me cercam
a maldade que os seus lábios proferiram.
10 Caiam brasas sobre eles,
    e sejam lançados ao fogo,
em covas das quais jamais possam sair.
11 Que os difamadores
    não se estabeleçam na terra,
e a desgraça persiga os violentos até a morte.

12 Sei que o Senhor defenderá
    a causa do necessitado
e fará justiça aos pobres.
13 Com certeza os justos darão graças
    ao teu nome,
e os homens íntegros viverão na tua presença.

Clamo a ti, Senhor; vem depressa!
Escuta a minha voz quando clamo a ti.
Seja a minha oração
    como incenso diante de ti,
e o levantar das minhas mãos,
    como a oferta da tarde.

Coloca, Senhor,
    uma guarda à minha boca;
vigia a porta de meus lábios.
Não permitas que o meu coração
    se volte para o mal,
nem que eu me envolva em práticas perversas
    com os malfeitores.
Que eu nunca participe dos seus banquetes!

Fira-me o justo com amor leal
    e me repreenda,
mas não perfume a minha cabeça
    o óleo do ímpio,
pois a minha oração
    é contra as práticas dos malfeitores.
Quando eles caírem nas mãos da Rocha,
    o juiz deles,
ouvirão as minhas palavras com apreço.
Como a terra é arada e fendida,
assim foram espalhados os seus ossos
    à entrada da sepultura.

Mas os meus olhos estão fixos em ti,
    ó Soberano Senhor;
em ti me refugio;
    não me entregues à morte.
Guarda-me das armadilhas
    que prepararam contra mim,
das ciladas dos que praticam o mal.
10 Caiam os ímpios em sua própria rede,
    enquanto eu escapo ileso.

Section 3 of 4

Jeremiah 3

About 6.2 Minutes

“Se um homem se divorciar
    de sua mulher,
e depois da separação
    ela casar-se com outro homem,
poderá o primeiro marido
    voltar para ela?
Não seria a terra
    totalmente contaminada?
Mas você tem se prostituído
    com muitos amantes
e, agora,
    quer voltar para mim?”,
pergunta o Senhor.
“Olhe para o campo e veja:
Há algum lugar
    onde você não foi desonrada?
À beira do caminho você se assentou
    à espera de amantes,
assentou-se como um nômade
    no deserto.
Você contaminou a terra
    com sua prostituição e impiedade.
Por isso as chuvas foram retidas,
    e não veio chuva na primavera.
Mas você,
apresentando-se declaradamente
    como prostituta,
recusa-se a corar de vergonha.
Você não acabou de me chamar:
    ‘Meu pai, amigo da minha juventude,
ficarás irado para sempre?
Teu ressentimento permanecerá
até o fim?’
É assim que você fala,
    mas faz todo o mal que pode”.

Durante o reinado do rei Josias, o Senhor me disse: “Você viu o que fez Israel, a infiel? Subiu todo monte elevado e foi para debaixo de toda árvore verdejante para prostituir-se. Depois de ter feito tudo isso, pensei que ela voltaria para mim, mas não voltou. E a sua irmã traidora, Judá, viu essas coisas. Viu também que dei à infiel Israel uma certidão de divórcio e a mandei embora, por causa de todos os seus adultérios. Entretanto, a sua irmã Judá, a traidora, também se prostituiu, sem temor algum. E por ter feito pouco caso da imoralidade, Judá contaminou a terra, cometendo adultério com ídolos de pedra e madeira. 10 Apesar de tudo isso, sua irmã Judá, a traidora, não voltou para mim de todo o coração, mas sim com fingimento”, declara o Senhor.

11 O Senhor me disse: “Israel, a infiel, é melhor do que Judá, a traidora. 12 Vá e proclame esta mensagem para os lados do norte:

“Volte, ó infiel Israel”,
    declara o Senhor,
“Não mais franzirei a testa
    cheio de ira contra você,
pois eu sou fiel”, declara o Senhor,
“Não ficarei irado para sempre.
13 Mas reconheça o seu pecado:
você se rebelou contra
    o Senhor, o seu Deus,
    e ofereceu os seus favores
    a deuses estranhos,
debaixo de toda árvore verdejante,
e não me obedeceu”,
    declara o Senhor.

14 “Voltem, filhos rebeldes! Pois eu sou o Senhor de vocês”, declara o Senhor. “Tomarei vocês, um de cada cidade e dois de cada clã, e os trarei de volta a Sião. 15 Então eu lhes darei governantes conforme a minha vontade, que os dirigirão com sabedoria e com entendimento. 16 Quando vocês aumentarem e se multiplicarem na sua terra naqueles dias”, declara o Senhor, “não dirão mais: ‘A arca da aliança do Senhor’. Não pensarão mais nisso nem se lembrarão dela; não sentirão sua falta nem se fará outra arca. 17 Naquela época, chamarão Jerusalém ‘O Trono do Senhor’, e todas as nações se reunirão para honrar o nome do Senhor em Jerusalém. Não mais viverão segundo a obstinação de seus corações para fazer o mal. 18 Naqueles dias a comunidade de Judá caminhará com a comunidade de Israel, e juntas voltarão do norte para a terra que dei como herança aos seus antepassados.

19 “Eu mesmo disse:

Com que alegria eu a trataria
    como se tratam filhos
e lhe daria uma terra aprazível,
    a mais bela herança entre as nações!
Pensei que você me chamaria de ‘Pai’
    e que não deixaria de seguir-me.
20 Mas, como a mulher
    que trai o marido,
assim você tem sido infiel comigo,
    ó comunidade de Israel”,
declara o Senhor.

21 Ouve-se um choro no campo,
    o pranto de súplica dos israelitas,
porque perverteram os seus caminhos
    e esqueceram o Senhor, o seu Deus.

22 “Voltem, filhos rebeldes!
    Eu os curarei da sua rebeldia”.

“Sim!”, o povo responde.
“Nós viremos a ti,
    pois tu és o Senhor, o nosso Deus.
23 De fato, a agitação idólatra nas colinas
    e o murmúrio nos montes é um engano.
No Senhor, no nosso Deus,
    está a salvação de Israel.
24 Desde a nossa juventude,
    Baal, o deus da vergonha,
tem consumido o fruto do trabalho
    dos nossos antepassados:
as ovelhas, os bois,
    os seus filhos e as suas filhas.
25 Seja a vergonha a nossa cama
    e a desonra, o nosso cobertor.
Pecamos contra o Senhor,
    o nosso Deus,
tanto nós como os nossos antepassados,
    desde a nossa juventude
    até o dia de hoje;
e não temos obedecido
    ao Senhor, ao nosso Deus.”

Section 4 of 4

Matthew 17

About 2.6 Minutes

17 Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago, e os levou, em particular, a um alto monte. Ali ele foi transfigurado diante deles. Sua face brilhou como o sol, e suas roupas se tornaram brancas como a luz. Naquele mesmo momento apareceram diante deles Moisés e Elias, conversando com Jesus.

Então Pedro disse a Jesus: “Senhor, é bom estarmos aqui. Se quiseres, farei três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias”.

Enquanto ele ainda estava falando, uma nuvem resplandecente os envolveu, e dela saiu uma voz, que dizia: “Este é o meu Filho amado em quem me agrado. Ouçam-no!”

Ouvindo isso, os discípulos prostraram-se com o rosto em terra e ficaram aterrorizados. Mas Jesus se aproximou, tocou neles e disse: “Levantem-se! Não tenham medo!” E erguendo eles os olhos, não viram mais ninguém a não ser Jesus.

Enquanto desciam do monte, Jesus lhes ordenou: “Não contem a ninguém o que vocês viram, até que o Filho do homem tenha sido ressuscitado dos mortos”.

10 Os discípulos lhe perguntaram: “Então, por que os mestres da lei dizem que é necessário que Elias venha primeiro?”

11 Jesus respondeu: “De fato, Elias vem e restaurará todas as coisas. 12 Mas eu lhes digo: Elias já veio, e eles não o reconheceram, mas fizeram com ele tudo o que quiseram. Da mesma forma o Filho do homem será maltratado por eles”. 13 Então os discípulos entenderam que era de João Batista que ele tinha falado.

14 Quando chegaram onde estava a multidão, um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se diante dele e disse: 15 “Senhor, tem misericórdia do meu filho. Ele tem ataques e está sofrendo muito. Muitas vezes cai no fogo ou na água. 16 Eu o trouxe aos teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo”.

17 Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês? Até quando terei que suportá-los? Tragam-me o menino”. 18 Jesus repreendeu o demônio; este saiu do menino que, daquele momento em diante, ficou curado.

19 Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: “Por que não conseguimos expulsá-lo?”

20 Ele respondeu: “Porque a fé que vocês têm é pequena. Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível. 21 Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum”.

22 Reunindo-se eles na Galiléia, Jesus lhes disse: “O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens. 23 Eles o matarão, e no terceiro dia ele ressuscitará”. E os discípulos ficaram cheios de tristeza.

24 Quando Jesus e seus discípulos chegaram a Cafarnaum, os coletores do imposto de duas dracmas vieram a Pedro e perguntaram: “O mestre de vocês não paga o imposto do templo?”

25 “Sim, paga”, respondeu ele.

Quando Pedro entrou na casa, Jesus foi o primeiro a falar, perguntando-lhe: “O que você acha, Simão? De quem os reis da terra cobram tributos e impostos: de seus próprios filhos ou dos outros?”

26 “Dos outros”, respondeu Pedro.

Disse-lhe Jesus: “Então os filhos estão isentos. 27 Mas, para não escandalizá-los, vá ao mar e jogue o anzol. Tire o primeiro peixe que você pegar, abra-lhe a boca, e você encontrará uma moeda de quatro dracmas. Pegue-a e entregue-a a eles, para pagar o meu imposto e o seu”.


Copyright © 2023, Bethany Church, All Rights Reserved.

Contact Us • (225) 774-1700